Não aceite a “mediocridade”… 🏆

Somos o resultado das escolhas que fazemos, das decisões que tomamos, das ações que realizamos.

Ao ler um livro sobre “realizações”  dia desses,  me chamou especial atenção a afirmativa de que a grande maioria das pessoas acomoda-se em ser “medíocre”,  ou  “mediano”.

Embora sintam-se  não totalmente satisfeitas  em vários aspectos da vida, estão abaixo do que gostariam, aceitam isso passivamente, não se movem suficientemente ao contrário para encontrar soluções  e caminhos que as projetem  a níveis superiores.

stickies-2852375_640

A questão que fica martelando é:  por que contentar-se com menos,  tendo em si o potencial de realizar mais?   Considerando a premissa de que todos nascem com as mesmas prerrogativas, então onde ficam guardadas as energias, motivações para a busca de melhores resultados?

  • Será que as pessoas não se percebem merecedoras, dignas, capazes  de terem melhores desempenhos e conquistas?
  • Será que existe uma certa comodidade em terceirizar essa responsabilidade a outros?  (pessoas, instituições)  É mais confortável apontar a outros ao invés de dedicar-se, agir?
  • Será que há uma espera por “milagres”?   Se, por exemplo,  o aluno não estuda,  não passará pelo vestibular.  É uma questão de lógica.
  • Os problemas são os outros. ?!?!? Uma das formas de reconhecermos nossos erros e acertos é pelo olhar dos outros,  pelas convivências, que expõem nossas fragilidades, nossas dificuldades e problemas.  Ora,  então os  “outros é que são o inferno”,  já dizia o pensador francês, Sartre.

Enquanto isso a vida passa ,   e rápido.

“A vida é curta demais” é repetido com frequência suficiente para ser um clichê, mas desta vez é verdade. Você não tem empo para ser infeliz e medíocre. Isso não é apenas sem sentido; é doloroso.” Seth Godin

Aprendi que  uma das grandes dificuldades para a realização das pessoas,  reside no “COMO”.  Elas sabem o que gostariam de alcançar,  o sonho, objetivo. Mas nem sempre possuem a habilidade ou o conhecimento de  “como” fazer.

Faço também uma conexão  com a cultura e a educação.  Observo que o  contexto cultural e o processo educacional pelos quais  uma pessoa passa,  exerce importante influência na capacidade para essas conquistas.

Posto isso,  quero ressaltar o “desenvolvimento pessoal” como  um cenário estratégico para  viabilização dos resultados almejados.  Do “sucesso”,  para alguns.   Adotar uma mentalidade de aprendiz,  o tempo todo,    buscando aprender o que for necessário rumo aos planos e projetos.    Seja na área de relacionamentos,  financeira,  espiritual,  emocional, etc.

“Se você quer que sua vida seja diferente,  precisa estar disposto a fazer algo diferente, em primeiro lugar. ”  Kevin Bracy

outdoor-3263009_1280

Outro dia  comentei aqui no blog sobre  escrever um rápido diário.  Considero uma das práticas simples e rápidas para uma reflexão contínua acerca das escolhas e ações.  Poder favorecer o caminho de evolução.

Rumo ao primeiro passo?

Conte comigo.  Por meio da metodologia do coaching,  tenho ajudado as pessoas a se capacitarem,  a pensarem sobre como conquistar suas metas e objetivos.

Bjo,
Darlene

Anúncios

E você? Qual o legado está deixando?

Hoje eu trouxe como panorama de análise,   o filme considerado um “drama-biográfico”  –   Nise, o coração da loucura.  Um parênteses: eu “adoro” filmes e a sua utilização na didática em geral.   A história é contada no contexto do Hospital Psiquiátrico  do Engenho de Dentro  subúrbio do Rio de Janeiro,  e a atuação brilhante da Psiquiatra Nise da Silveira.

Como dizem por aí,   “botei reparo” em  vários pontos de reflexão e que podem ser tranquilamente transpostos a outros contextos e objetos de nossa análise e aprendizado.

Algumas lições importantes:

a) o inconformismo positivo: aquele incômodo necessário a todos nós,  que nos move rumo ao progresso, à  evolução,  que nos  faz saber que pode-se  mais,  que nos faz saber que é possível ser diferente.   Um inconformismo que leva à ação.

b) a riqueza da discordância: a mentalidade de  que não é necessário concordar com o “status quo”,  com os sistemas vigentes e que existe sempre outras alternativas para os problemas.  Sim, requer valentia,  coragem e disposição para contrapor colegas de trabalho, ter persistência,  autoconfiança  e transformar. Quebrar padrões vigentes,  mudar a transmissão de comportamentos de épocas,  é sim, possível.

c) o respeito ao humano:  independente das condições físicas, mentais, econômicas e sociais,  buscar o respeito ao ser humano, acima de tudo.  Em todas as situações, privilegiar a opção por medidas, métodos  e tratamentos humanizados e  acima de tudo, respeitosos.

d) o machismo:  demonstrou claramente como as restrições nas relações de trabalho entre os gêneros eram mais escancaradas (época em que as mulheres eram para casar, somente).  A realização de um trabalho sob esse prisma  pressupõe a necessidade de um esforço dobrado e sem contar com a inexistência de parcerias e apoios.  A desigualdade nesse quesito era ainda mais gritante, pra não dizer,  gigante.

e) estilo de liderança:   uma mulher,  que preserva suas características femininas e se mostra naturalmente  forte em atitudes, com posicionamentos firmes  e ao mesmo tempo docente e afetuosa na convivência.   Conseguiu,  mantendo  seu estilo próprio,   liderar mudanças significativas,  sem ser autoritária,  sem impor sua posição.  Me fez recordar uma frase da  Margareth Thatcher,  “Ser líder é como ser uma dama:  se você precisa provar que é,  então você não é. “

E você,  qual legado está deixando?

 “Há dez mil modos de ocupar-se da vida e de pertencer a sua época… Repetindo, há dez mil modos de pertencer à vida e de lutar por ela.” (Nise da Silveira)

Captura de Tela 2017-07-30 às 15.52.30

Fonte: da Wikipedia

 

No 4TOUCH – a jornada da realização,  ajudamos as pessoas a avaliarem seus propósitos. Clique no link e saiba mais detalhes desse programa e seus módulos.

Até sempre
Darlene

Professor de alta performance

Características Principais do Professor de Alta Performance 

Ser professor num país que não valoriza esse tipo de profissional é um desafio e tanto – mas existem pessoas que realmente se sobressaem quando o assunto é dedicação à sua profissão.

Ser um profissional da educação é mais do que planos de aula e correção de provas – esse é apenas o básico que se espera e que se amontoam dentro das instituições de ensino do nosso país e é o modelo que você, que já atua na área ou pensa em atuar lidou enquanto estudava na sua escola.

Esqueça o velho método dos professores arcaicos e seja um professor de alta performance – torne suas aulas atrativas e eficazes no processo de aprendizagem e seja referência na sua área de atuação.

Quer saber como? Papel e caneta na mão para que você possa conhecer as características de um professor de alta performance e dicas que farão você se tornar um profissional bem-sucedido.

O Perfil de um Professor de Alta Performance

Emery_A__29.jpg Um professor de alta performance é aquele que está antenado com o seu tempo e sabe transformar o que acontece no dia a dia em matéria para estimular os seus alunos – é o professor pesquisador, que consegue enxergar contextos para incrementar a sua aula e torna-la produtiva e dinâmica.

Além disso, é sempre motivado e sabe do valor que a sua profissão tem – inclusive investindo em conhecimento para valorizar-se cada vez mais no mercado, transformando o seu tempo em algo precioso e digno de ser assistido.

Este profissional é aquele que não para no tempo e está sempre atento tanto ao que a sua área está oferecendo como também se utiliza largamente de novas tecnologias para facilitar o seu dia a dia. 

Como Posso me Tornar um Professor de Alta Performance?

inovadores-post1.jpg

 Como você deve imaginar ser um profissional da educação é uma função que demanda tanta responsabilidade quanto parece, o que nos leva refletir sobre o quanto um professor deve estar atualizado com o seu tempo e com novas técnicas para transformar a mente e, quem sabe o futuro dos seus alunos.

Entre as opções disponíveis para que você venha a se tornar um professor de alta performance estão:

Investir em uma pós-graduação: a pós geralmente leva estudantes a almejarem voos mais altos – como por exemplo, ensinar em faculdades, cursando mestrado, doutorado ou mesmo cursando uma especialização.

Mas você já pensou em implementar os conhecimentos adquiridos em sua especialização ou em seu mestrado nas salas de aula?

As escolas valorizam muito o currículo de um professor com uma especialidade a mais e valorizam mais ainda se este professor é qualificado o suficiente para aplicar esses conhecimentos na sala de aula e não somente como algo feito para enfeitar o currículo.

Por isso procure na instituição que você estudou se existe algum programa de pós-graduação ou mesmo em outras faculdades ou universidades da sua cidade, como metodologia de ensino, por exemplo.

Esteja sempre atualizado:

Não só com as novidades da sua área de ensino, mas também com notícias e novidades que você possa utilizar para sair um pouco do material didático fornecido pela escola.

Apesar de ser de fundamental importância na hora de fazer um plano de aulas, o livro didático corre o risco de se transformar em uma âncora que vai lhe impedir de progredir e de transformar sua aula em algo mais rico em conteúdo.

Além disso, não abra mão da utilização de materiais diferenciados para transformar a sua aula em algo mais dinâmico e de fácil acesso – ilustrações, infográficos, vídeos e notícias relacionadas à matéria de estudo.

Siga essas dicas e procure transformar as suas aulas em um momento único de aprendizagem que são as características essenciais de um professor bem-sucedido!

E aí, curtiu essas dicas? Deixe nos comentários abaixo. Não esqueça de compartilhar em suas redes sociais e marcar os seus amigos! Até a próxima!

 

Se você se interessa por ampliar suas competências por meio do seu autodesenvolvimento, conte comigo.  Tenho um programa, o 4TOUCH, que pode te ajudar a acelerar seus objetivos e resultados.

Pode me enviar uma mensagem por aqui ou se cadastrar na nossa REDE para receber nossas informações regulares.

Seja um Professor de Muitos Resultados e Conquiste Novos Projetos

Sabemos que atualmente o momento não é dos mais favoráveis para nenhum profissional, mas, quando se trata da área da docência, parece que há sempre um agravante histórico que acaba por deixar o professor num limbo que o divide geralmente em três momentos: formação, docência e aposentadoria.

Mas, com os avanços constantes em todas as carreiras, até mesmo uma profissão tão tradicional como a da docência necessita de um upgrade de vez em quando para que assim você possa gerar resultados e conquistar novos projetos.

Ser um professor bem-sucedido envolve muitos pontos, os quais vão além de ser competente naquilo em que atua, mas, estar sempre à disposição de novos cursos e especializações vão tornar você em um profissional cada vez mais motivado e criativo dentro da sua área.

Por isso este artigo está aqui para mostrar para você, que é ou quer ser um professor, como conquistar novos projetos e ser um profissional bem-sucedido em sua área de atuação, levando consigo cada vez mais conhecimento para a sala de aula.

Divida o seu Tempo Adequadamente

Muitos professores trabalham em mais de uma instituição em horários e turnos diferentes – na intenção de elevar um pouco mais os ganhos do final do mês ( porque como sabemos tem muito trabalho a ser feito e a remuneração, bem, já dizia o mestre Chico Anysio em sua Escolinha “e o salário, oh”).

E pouca coisa mudou desde então.

Mas um professor que se desdobra entre escolas, turmas e turnos diferentes precisa encontrar um tempo para investir em qualidade de vida e, principalmente em atualização.

O bom profissional precisa sempre estar por dentro das últimas notícias tanto do mundo quanto de sua própria área de atuação – o profissional que acaba dedicando a maior parte do seu tempo apenas ao trabalho acaba por estagnar em relação ao mercado.

O resultado é que o seu trabalho, por mais que você goste, acaba por se tornar um automatismo enfadonho. 

Investimento em Pós-Graduações

posgraduacao-em-gestao-de-pessoas-por-que-investir-740x360

Em geral, os estudantes das instituições depois que terminam as suas licenciaturas acabam em dois caminhos: o primeiro o da atuação nas escolas particulares ou nos concursos públicos que acabam por ser o destino da maior parte de algumas turmas.

Poucos são os estudantes que decidem se aventurar em uma especialização ou em outras formas de pós-graduação e mesmo assim continuar atuando em escolas.

A maioria visa projetos de pesquisa ou mesmo lecionar em faculdades.

Se você é professor de escolas é sempre bom investir em alguma forma de pós-graduação, ou cursos correlatos – dessa maneira, além de se manter atualizado intelectualmente você se tornará um profissional mais motivado a incrementar novas práticas de ensino. 

Oportunidades

professor-melhore-a-relacao-em-sala-de-aula-com-sua-turma-noticias

Instituições públicas e privadas são fontes de oportunidades das mais diversas para quem está querendo ser um professor bem-sucedido.

Esteja atento a agências de fomento como o Capes, o CNPQ, ou mesmo o próprio Ministério da Educação e o Programa de Bolsas do Santander.

Estas instituições oferecem incentivos e oportunidades para professores aprimorarem as suas habilidades, realizarem um curso no exterior, cursar uma especialização há muito tempo adiada e, ainda, oferecem financiamento para pesquisas científicas.

Basta ficar de olho em editais e outras chamadas que podem ser as responsáveis por alavancar a sua carreira e dar aquele já comentado upgrade na sua carreira de professor.

Lembrando que é sempre importante que você esteja por dentro das novidades da sua área de atuação: seja através de sites de notícias ou através de portais que são voltados a este fim.

E não esqueça de ter um tempo livre para poder se dedicar a si mesmo.

 

E aí, curtiu esse artigo? Já está pensando no que investir para se tornar um profissional qualificado? Deixe nos comentários e compartilhe em suas redes sociais! Até a próxima!