Todos os dias me sujo de coisas eternas

Em tempos de pandemia um pouco de poesia contemporânea brasileira.
Aqui… Luana Carvalho em “E Agora Como Nunca. Antologia Incompleta da Poesia Contemporânea Brasileira”.

“Todos  os  dias  me  sujo  de  coisas  eternas    
café preto
vinho tinto
shoyo
sono
horror
saudade
sombra
chama
chuva
britas
parasitas
labirintos
lestrigões
livros
discos
organismos
hemisférios
centenários
água
sorte
soro  
cores  
casas   brancas   com   varanda
variantes   armaduras  
sonhos  
seivas          
céu        
você.

https://sites.google.com/view/art-dah/in%C3%ADcio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.