perdas…

Tudo aconteceu há mais de trinta dias e durante todo esse tempo eu não tive coragem de lhe escrever embora tivesse vontade. Faltavam-me as palavras. Eu não sabia o que dizer nesta circunstância. Tinha certeza de que ele não estaria nada bem. Soube de sua enorme tristeza. Queria que ele soubesse que eu estaria ali à disposição, consternada por ele, pelo que houve, pela sua enorme perda. Os poucos momentos e oportunidades que tivemos juntos há alguns anos atrás foram suficientes para eu guardar um sentimento de afeto e carinho por ele.

Reuni as palavras e teclei enter.

” A morte nos ensina a transitoriedade de todas as coisas. ”
autor desconhecido

Eu me desmanchei ao receber como resposta uma linda e verdadeira declaração de amor. Parágrafos cheios de um sentimento nobre e genuíno. Frases de quem perdeu seu companheiro de forma abrupta e inusitada, de quem viu ir-se o amor da sua vida e o amigo fiel de décadas.

Ao ler aquela mensagem era como se eu estivesse sendo envolvida pela dor dele, pelo calor e sofrimento em cada pedaço de texto. Pensei: amigo, a saudade não pede licença, doi sim. Eu queria abraçá-lo e foi ele quem me abraçou.

Comovida senti meus olhos marejarem. Pensei no tão pouco que sabia da história deles, no que viveram, no companheirismo, no afeto e amor que tiveram juntos até a repentina separação. Acho que nessa breve troca de mensagens pude experimentar a empatia, cujo significado transcrevo resumidamente aqui: capacidade de sentir o que sentiria uma outra pessoa caso estivesse na mesma situação vivenciada por ela. Consiste em tentar compreender sentimentos e emoções, procurando experimentar de forma objetiva e racional o que sente outro indivíduo. … A capacidade de se colocar no lugar do outro. (www.significados.com.br)

Preservo a sua identidade ao compartilhar alguns dos seus fragmentos vibrantes. Retratam a dimensão das duras perdas na vida:

“sinto um vazio enorme no peito e muita dor no meu coração. Eu perdi de uma só vez, de forma trágica e rápida, o meu amor e o meu melhor amigo. …

enquanto eu continuo nesse sofrimento, o mundo ao meu redor segue, o trãnsito continua, o telefone toca, as pessoas continuam tomando chopp na esquina, …


e de repente tudo ficou incoerente diante da dor lancinante que estou experimentando. …


vou ter que dar um jeito de amenizar essa dor dilacerante que não para de latejar no meu coração e na minha alma e dar espaço ao sentimento da falta dele, acompanhado das lembranças, do carinho e do amor que eu tive o privilégio de receber dele nesses trinta anos de convivência tão harmoniosa. …

Snifff.


Em tempos de amores líquidos, fulgazes e superficiais este é pra mim um exemplo de convivência, de forte vinculação afetiva, de companheirismo, de dedicação mútua e de amor.

Que seja uma inspiração também para aqueles que querem “viver”, “cultivar” sentimentos profundos e nobres.

Anelo que fique em paz e certo de ter experimentado a prerrogativa de uma das grandes construções da vida humana. Oportunidade de poucos. Você tem o meu respeito.

Sem mais…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.