a confiança na tomada de decisão …

Está confiante com relação à  qualidade de suas decisões?  ou mesmo de suas indecisões?

Todas as decisões, independente do porte,  carregarão  impactos positivos e negativos. São tradeoff’s, ou seja, pressupõem escolhas. Se elas ocorrem em contextos corporativos, sob a batuta de grandes lideranças ou chefias a amplitude desses efeitos pode ser ainda maior, dado a quantidade de pessoas e negócios envolvidos.   (sugiro a leitura do post anterior antes desse)

Sem entrar em detalhes sobre tipos e contextos em que ocorrem as decisões (familiares, profissionais, relacionamentos,  sociais, etc.),    vou citar alguns recursos, que você poderá utilizar para  ampliar  sua visão  e melhorar a qualidade de seus posicionamentos e decisões.  Veja:

  1. Check a sanidade, ou seja,  o quão sensata, íntegra e equilibrada está sua posição. Como fazer isso?  Compartilhe suas ideias, seus cenários e racionais  acerca da decisão com um grupo de pessoas de sua confiança ou com seus liderados.  Poderá convocar sua equipe para um bate papo sobre o tema, assim poderá ter opiniões e pontos de vistas diferentes e cenários alternativos acerca do ponto em pauta.   Esse é um recurso que não deve ser confundido com estilo de liderança.  Se você tem uma decisão familiar,  poderá fazer isso com parentes próximos e amigos.workplace-1245776_1920
  2. Utilize experts – Dependendo das características da decisão  você pode  buscar experts, pessoas que tenham domínio daquele tema com o objetivo de ouvi-los e confirmar seus pressupostos.  Especialmente em contextos profissionais,  trata-se de uma indicação oportuna para decisões que envolvam variáveis técnicas e específicas.
  3. Estabeleça prazos – Defina uma data limite para tomar a decisão, evitando protelar  confortavelmente. (evitar a procrastinação ou a paralisia)  É certo que você terá milhares de razões verdadeiras para deixar o tempo correr, mas evite essa conduta. Veja o tempo realmente necessário para que tenha informações mínimas suficientes para subsidiá-lo.  “Marcou,  chegou”  A partir do momento que você estipula  um limite temclock-407101_1280poral, s organizará  as ações necessárias dentro do prazo que estabeleceu.  Isso te ajudará a dar ritmo nas atividades e estudos de suporte.  (estudos de mercado,   pesquisas,  contratação de experts,   reuniões de trocas de idéias, etc.)
  4. Escolha um parceiro / um mentor – Identifique uma pessoa que tenha sua confiança e que possa ser seu parceiro em decisões mais complexas.   Ao compartilhar,  terá, além de um comprometimento maior (seu),  alguém que possa ouvi-lo e eventualmente, colaborar.  Você já deve ter ouvido que quando verbalizamos algo,  fortalecemos seu objetivo.   Amplia o comprometimento para realização.
  5. Delimite a mineração –  Dado que o mundo de informações é gigante e existem uma série de fontes evite a dispersão intelectual que pode fazê-lo postergar ou mesmo paralisar a tomada de decisão.   Escolha as variáveis de fato relevantes para essa decisão e coloque foco nelas.  Ao obtê-las  poderá seguir adiante com maior confiança.
  6. Benchmarking – Dependendo da decisão,   procure pessoas que já percorreram caminhos similares.  Busque conhecer as dificuldades pelas quais eles passaram e como as resolveram.  Entenda os desafios que se apresentaram ao longo do caminho, assim poderá se preparar melhor e se sentirá mais apto para avançar. Aproximar-se da realidade,  de algo que já foi vivido aumenta seu conhecimento e destrava possíveis restrições e bloqueios que porventura ainda tenha.
  7. Não espere ter certeza de tudo –  Isso não existe.  Esteja disposto a conviver com determinado nível de incerteza e riscos.   É absolutamente irreal considerar que todas as variáveis estarão algum dia sob total controle.  Gostei de uma frase de Elisangela Frontino, onde diz que  a palavra incerteza para nossa mente não soa de forma agradável.  Mas a beleza, a grandeza e o sentido da vida está na incerteza.  Se o certo fosse certo poderia engessar e matar os seus sonhos.
  8. Cuidado com os vieses  – Com freqüência as decisões  são influenciadas por nossas deficiências, pelas armadilhas da vaidade, do poder e por isso faz-se necessário pensar sempre na melhor conduta ética, na integridade e também, exercer a verdadeira humildade.  Essa pode se tornar uma das grandes armadilhas.  Está decidindo baseado em quê?
  9. Ouça as vozes da intuição e do coração. heart-1583996_640Aprenda  a escutá-las.  As pessoas esquecem que tem mecanismos internos, sensibilidade, conhecimentos, experiências e inúmeros aprendizados que as levam a intuir muitas coisas.  É preciso ouvir sua intuição e também seu coração. Já vivi situações em que não ouvi algo absolutamente claro pra mim e por não considerar me dei muito mal.

“Olhando pra fora, você vê um mundo de possibilidades.  Olhando pra dentro, também!.  O próximo passo começa em você!.   Johnnie Walker

 

Em tudo,   AJA !!   Desenvolvi um programa para ajudar as pessoas serem mais realizadoras e confirmarem seus objetivos,  propósitos.    Ele é composto de 6 módulos que são executados totalmente ONLINE,  de acordo com a conveniência do aluno.  Lei mais aqui e se cadastre-se e se integre à  nossa REDE.

Curtiu essas dicas?  Aplicou?  Me escreva e compartilhe comigo o seu resultado. darlene@pothum.com.br

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s